2_20120411HUxA3Q

Desaparecimento de índios waimiri-atroari será debatido na Comissão da Verdade

No próximo dia 09, participo como convidada da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados de uma audiência para discutir o massacre dos waimiri-atroari Enquanto a Comissão da Verdade da Presidência da República não é composta, a Câmara Federal vai fazendo a sua parte. O Congresso Nacional criou a sua própria comissão para apurar […]

Ditadura

Corpos de presos foram incinerados no Rio de Janeiro durante Ditadura

Agente da repressão revela pela primeira vez que o regime militar incinerou os corpos de dez guerrilheiros em uma usina no Rio de Janeiro. Entre a cruz e a espada O ex-delegado Cláudio Guerra e a usina Cambahyba,  onde ele diz que incinerou cadáveres de presos políticos: ter-se tornado evangélico não o livra da lei e […]

Ex-agente da ditadura Cláudio Guerra se contradiz em livro recém-lançado

  No recém-lançado livro Memórias da Guerra Suja, o ex-agente policial Cláudio Guerra diz que, na condição de agente do Dops, incinerou corpos de adversários da ditadura numa usina de cana em Campos dos Goytacazes (RJ), ao longo de 1974. O depoimento é uma reviravolta na história relatada por ele mesmo. Uma biografia autorizada por […]

38679_ext_arquivo

Familiar não tem rancor de torturador

Vez por outra a história volta para acalentar os amargurados ou justificar aqueles que colocaram nos livros, o que sabemos hoje. O livro ‘Memórias de Uma Guerra Suja’ (Ed. TopBooks), do hoje pastor evangélico Claudio Guerra mexe numa ferida ainda latente no país. Lisboa é lembrado até hoje como referência na luta democrática

DSC03534

Reunião traça estratégias para receber Caravana Nacional de Anistia

Na manhã desta quinta-feira (03/05), aconteceu, na sala de reuniões da Secretaria do Gabinete do Governador, no Palácio da Abolição, reunião preparatória para definição de estratégias visando acolher a Caravana da Comissão Nacional de Anistia, que estará em Fortaleza, entre os dias 3 e 4 de agosto.

PF apura paradeiro de corpos citados por ex-delegado da ditadura

Após as revelações do livro “Memórias de uma Guerra Suja”, em que o ex-delegado Cláudio Guerra afirma ter matado e incinerado corpos de presos políticos na ditadura militar, a Polícia Federal abriu uma investigação sobre o paradeiro das supostas vítimas no caso, de acordo com informações do jornalFolha de S. Paulo.

Familiares cobram apuração das mortes de militantes incinerados

As revelações do ex-delegado capixaba Antônio Cláudio Guerra, do antigo Departamento de Ordem Política e Social (Dops), no livro Memórias de uma Guerra Suja, sobre as torturas e os assassinatos de militantes de esquerda por agentes da ditadura trouxeram mais uma vez à tona o debate sobre a necessidade do esclarecimento das barbáries cometidas pelo […]

Lei da Anistia subiu no telhado. A batata do STF está assando

  Saiu na Folha (*), a da ditabranda: PF investiga relato de ex-agente da ditadura   Ex-delegado afirma ter participado da incineração de 11 presos políticos. Guerra já prestou depoimento, cujo teor sigiloso foi informado à presidente Dilma e ao ministro da Justiça